satélite geoestacionário

características do satélite geoestacionário

Un satélite geoestacionário é aquele cuja altitude e velocidade correspondem à taxa de rotação da Terra e parece permanecer estacionário na Terra. Eles podem cobrir grandes áreas e fornecer serviços como TV via satélite, rádio, previsão do tempo e muito mais. Esses satélites são de grande importância para o ser humano.

Por isso, vamos dedicar este artigo para falar sobre as características, localização, tecnologia e muito mais do satélite geoestacionário.

O que é um satélite geoestacionário

importância dos satélites

Vários aspectos da era espacial tiveram grande impacto em nossas vidas diárias, como a invenção dos satélites de comunicação. Em apenas algumas décadas, eles alcançaram até mesmo as partes mais remotas do mundo de maneiras que eles eram quase inimagináveis ​​não muito tempo atrás.

De fato, hoje é possível falar diretamente com os alpinistas do Monte Everest ou se comunicar via Internet com praticamente qualquer sistema de computador na superfície da Terra, tudo com a ajuda de satélites de comunicação.

Os satélites de comunicações operam em muitos tipos de órbitas, desde constelações baixas da Terra como Globalstar até a órbita excêntrica e altamente inclinada de Molniya usada pela Federação Russa. No entanto, o tipo de órbita mais importante para esses satélites é a órbita geoestacionária, adequada não apenas para comunicações via satélite, mas também para observações meteorológicas e muitos outros tipos de aplicações.

Os satélites geoestacionários orbitam o equador na mesma velocidade que a Terra gira, uma vez por dia, e se alinham com a órbita geoestacionária. Eles orbitam em torno de um ponto quase fixo na superfície da Terra no equador a uma distância de 35.900 quilômetros. Esse posicionamento permite o monitoramento contínuo de uma área específica enquanto o campo de visão cobre aproximadamente um terço da superfície da Terra.

Eles estão exatamente no equador da Terra e giram em torno da Terra em órbitas circulares. Eles giram exatamente na mesma velocidade e direção (oeste para leste) que a Terra, tornando-os estacionários da superfície da Terra. Um satélite geoestacionário deve estar a alguma distância da Terra, caso contrário, cairá em altitude; portanto, se ficar muito longe da Terra, ele escapará completamente do campo gravitacional da Terra.

Os satélites geoestacionários modernizaram e transformaram as comunicações em todo o mundo, desde transmissões de televisão até previsões meteorológicas. Eles também têm várias aplicações importantes nas áreas de inteligência e estratégia militar.

Características principais

satélite geoestacionário

O termo satélite geoestacionário vem do fato de que tais satélites parecem quase estacionários no céu quando vistos da superfície da Terra. Os caminhos orbitais dos satélites geoestacionários são conhecidos como cinturão de Clark, em homenagem ao autor de ficção científica Arthur Clark, que é creditado com a ideia.

Ele publicou um artigo em 1945 sugerindo que satélites artificiais poderiam ser usados ​​como relés de comunicação depois de estudar a pesquisa de foguetes feita na Alemanha durante a Segunda Guerra Mundial. A primeira órbita geoestacionária bem-sucedida foi em 1963 e a primeira órbita geoestacionária em 1964.

Quando um satélite ou espaçonave está em uma órbita geossíncrona, ele é sincronizado com a rotação da Terra, mas a órbita é inclinada em direção ao plano equatorial. Os satélites nessas órbitas mudam de latitude, mas permanecem na mesma longitude. Isso difere da órbita geoestacionária porque os satélites se movem no mesmo lugar e não estão presos em uma posição no céu.

Os satélites geoestacionários permanecem no mesmo local enquanto cobrem a mesma área da superfície da Terra e podem fornecer serviços, como televisão, telecomunicações e imagens, para áreas específicas ou áreas da superfície da Terra de maneira previsível e consistente. Um satélite que deve ser constantemente impulsionado para uma determinada posição.

Localização de satélite geoestacionário

satélites meteorológicos

Esses satélites estão localizados em grandes altitudes, o que lhes permite medir toda a área da superfície terrestre, exceto pequenas áreas nos pólos geográficos sul e norte, o que é útil na pesquisa meteorológica. Antenas parabólicas altamente direcionais reduzem a interferência de sinal de fontes terrestres e outros satélites.

Um setor orbital é um anel muito fino no plano equatorial; portanto, um número muito pequeno de satélites pode ficar dentro desse setor sem entrar em conflito e colidir entre si. A posição precisa dos satélites geoestacionários varia ligeiramente a cada período de 24 horas. Tais flutuações ocorrem devido a distúrbios gravitacionais entre os satélites, a Terra, o Sol, a Lua e outros planetas.

Leva cerca de 1/4 de segundo para um sinal de rádio viajar de e para um satélite, resultando em uma latência de sinal pequena, mas significativa. Essa espera é um problema para comunicações interativas, como conversas telefônicas.

órbita geoestacionária

Uma órbita geoestacionária é uma órbita especial dentro da qual qualquer satélite aparecerá estacionário em um determinado ponto da superfície da Terra. Porém, Ao contrário de outros tipos de órbitas, que podem ter várias órbitas, a órbita geoestacionária possui apenas uma.

Para qualquer órbita geoestacionária, primeiro deve ser uma órbita geossíncrona. Uma órbita geossíncrona é qualquer órbita com um período igual ao período de rotação da Terra.

No entanto, esse requisito não é suficiente para garantir uma posição fixa em relação à Terra. Embora todas as órbitas geoestacionárias devam ser geoestacionárias, nem todas as órbitas geoestacionárias são geoestacionárias. Infelizmente, esses termos são frequentemente usados ​​de forma intercambiável.

Na maioria das vezes, pensamos na rotação da Terra medida em relação à posição média do Sol. No entanto, como o sol se move em relação às estrelas (espaço inercial) devido à órbita da Terra, o dia solar médio não é um período de rotação decisivo .

Um satélite geossíncrono orbita a Terra na mesma quantidade de tempo que a Terra leva para girar uma vez no espaço inercial (ou fixo). Este período é conhecido como dia sideral e é equivalente a 23:56:04 hora solar média. Na ausência de qualquer outro efeito, cada vez que um satélite com esse período retornar a um determinado ponto de sua órbita, a Terra se posicionará da mesma forma no espaço inercial.

Espero que com essas informações você possa aprender mais sobre o satélite geoestacionário e suas características.


Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

*

  1. Responsável pelos dados: Miguel Ángel Gatón
  2. Finalidade dos dados: Controle de SPAM, gerenciamento de comentários.
  3. Legitimação: Seu consentimento
  4. Comunicação de dados: Os dados não serão comunicados a terceiros, exceto por obrigação legal.
  5. Armazenamento de dados: banco de dados hospedado pela Occentus Networks (UE)
  6. Direitos: A qualquer momento você pode limitar, recuperar e excluir suas informações.