Galáxia gêmea da Via Láctea

galáxia gêmea da via láctea

Determinar o número exato de galáxias no Universo é uma tarefa enorme que permanece inatingível no momento. No entanto, a Agência Espacial Canadense (CSA) revelou que os especialistas sugerem um número superior a um bilhão de galáxias. Com um número tão grande, não é surpreendente que exista o que pode ser chamado de galáxia gêmea da Via Láctea nas proximidades de nossa galáxia, onde nosso planeta está localizado.

Neste artigo vamos contar tudo o que você precisa saber sobre a descoberta da galáxia gêmea da Via Láctea e suas características.

Descoberta da galáxia gêmea da Via Láctea

galaias do universo

Durante as férias de verão na Cantábria do ano passado O renomado astrofísico Luca Costantin aproveitou um dia de lazer no dia 1º de agosto. Depois de explorar as exuberantes montanhas verdes e as praias arenosas de San Vicente de la Barquera, ligou o laptop e verificou o e-mail, hábito que admite ter mesmo quando está de férias. Entre as novas mensagens estava um conjunto de imagens cativantes capturadas pelo revolucionário Telescópio Espacial James Webb, lançado no Natal de 2021.

Ao examinar as imagens e classificar diversas galáxias, uma em particular chamou sua atenção. Tinha descoberto Ceers-2112, uma galáxia que poderia ser considerada a “irmã gêmea” da Via Láctea, no lado oposto do universo. Esta descoberta é detalhada na edição desta semana da prestigiada revista científica Nature. Vale a pena notar que o universo é estimado em 13.800 bilhões de anos.

De acordo com um estudo realizado por Costantin e seus colegas, galáxias semelhantes à Via Láctea existiam há 11.700 mil milhões de anos, quando o Universo tinha apenas 15% da sua idade atual. O telescópio ultrassensível James Webb capturou a luz fraca emitida durante a infância do universo. “É como se estivéssemos vendo a nossa galáxia no passado”, diz Costantin, um pesquisador italiano de 33 anos.

O astrofísico Pablo G. Pérez González compara a descoberta à de uma pessoa de 100 anos que nunca se viu no espelho recebendo um autorretrato enviado por uma irmã gêmea desconhecida quando tinha 15 anos. Esta é a galáxia semelhante à Via Láctea mais remota já descoberta, conhecida como ceers-2112. Esta galáxia está localizada na região do céu entre as constelações Ursa Maior e Boyero, que é uma linha pontilhada que lembra uma figura humana e tem como estrela Arthur, uma das mais brilhantes do céu.

Galáxia Ceers-2112

uma galáxia gêmea da Via Láctea

Segundo Pérez González, um dos principais autores do estudo, a massa combinada das estrelas do ceers-2112 equivale a 3.900 bilhões de massas solares, tamanho que está de acordo com as simulações das dimensões da Via Láctea da época. “Naquela altura havia dez vezes menos massas solares na nossa galáxia”, explica o investigador, que investiga com Costantin no Centro de Astrobiologia (INTA-CSIC) de Torrejón de Ardoz, Madrid. Assim como outras galáxias espirais do universo local, a Via Láctea possui uma estrutura em forma de barra em sua área central, que é alongada. Há cerca de 15 anos, o Telescópio Espacial Hubble, lançado em 1990 e primitivo em comparação com o atual Telescópio Espacial James Webb, permitiu que aproximadamente 2.000 galáxias semelhantes fossem examinadas.

A conclusão a que chegaram os astrónomos da NASA é que as barras centrais das galáxias espirais são o resultado da evolução das galáxias. As barras se formam quando as órbitas das estrelas se tornam instáveis ​​e se desviam de suas trajetórias circulares anteriores. Grandes quantidades de gases acumulam-se nestas estruturas alongadas, dando origem a novas estrelas e transformando galáxias.

O jovem ceers-2112 é um exemplo de galáxia que surpreendentemente tem uma barra no centro, apesar de ter apenas 2.100 bilhões de anos quando emitiu a luz que chegou ao telescópio. A importância destas estruturas, segundo Pablo G. Pérez González, reside no facto de desempenharem um papel crucial na formação da vida. Para que o Sol se formasse a partir dos seus metais essenciais, incluindo ferro, níquel, carbono, silício e todos os outros ingredientes da vida, as estrelas anteriores devem ter tido órbitas elípticas, transportando materiais a partir dos quais mais estrelas se formam numa galáxia para as áreas exteriores.

Antiga galáxia gêmea da Via Láctea

ceers-2112

Anunciada há três anos, a existência de SPT0418-47, uma galáxia “gêmea” da Via Láctea, já havia sido estabelecido como uma entidade colossal e estável quando o cosmos tinha apenas 1.400 bilhão de anos. No entanto, faltou um bar. Segundo Pérez González, «A Via Láctea pode ter inúmeros gêmeos, e observamos cada um deles em momentos diferentes do universo. “Esses gêmeos podem nos fornecer uma linha do tempo da evolução da Via Láctea”.

A galáxia ceers-2112 recebeu o nome do projeto internacional Cosmic Evolution Early Release Science, do qual participam astrofísicos do Centro de Astrobiologia. Embora não tenha participado do estudo, o astrofísico mexicano Yetli Rosas Guevara elogiou a pesquisa. Ele afirma: “Esta é a primeira publicação a identificar galáxias espirais com uma barra central na infância do universo. Dada a tenra idade, esperaríamos que as coisas fossem mais turbulentas«. Guevara realiza simulações cosmológicas no Donostia International Physics Center, em San Sebastián. Segundo Rosas Guevara, o impacto do Telescópio Espacial James Webb no campo da astronomia não pode ser subestimado.

Graças a esta ferramenta poderosa, os astrônomos conseguiram detectar as galáxias iniciais que surgiram no universo. Guevara salienta que, com observações adicionais, seria possível determinar se o ceers-2112 foi um evento singular durante o início do universo ou se já existiam numerosas galáxias semelhantes à Via Láctea.

Como você pode ver, a cada descoberta colocamos peças do quebra-cabeça do nosso universo para entender melhor como ele se forma e toda a sua composição. Espero que com essas informações você possa aprender mais sobre as características da principal galáxia, a Via Láctea, e suas descobertas.


Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

*

  1. Responsável pelos dados: Miguel Ángel Gatón
  2. Finalidade dos dados: Controle de SPAM, gerenciamento de comentários.
  3. Legitimação: Seu consentimento
  4. Comunicação de dados: Os dados não serão comunicados a terceiros, exceto por obrigação legal.
  5. Armazenamento de dados: banco de dados hospedado pela Occentus Networks (UE)
  6. Direitos: A qualquer momento você pode limitar, recuperar e excluir suas informações.