Clima espacial

clima espacial

As condições que existem no espaço que circunda a Terra, comumente chamadas clima espacial, pode ter consequências importantes para o nosso planeta. O clima espacial é influenciado principalmente pelo sol, que abrange uma infinidade de fenômenos, como erupções solares, ejeções de massa solar e tempestades solares ou geomagnéticas. Esses acontecimentos servem de testemunho das diversas experiências vividas pela nossa estrela.

Neste artigo vamos contar em profundidade o que é o clima espacial e quais as repercussões que ele tem em nosso planeta.

Tempestade geomagnética

inclinação magnética

Embora a magnetosfera nos proteja de uma porção significativa das partículas carregadas do Sol, os eventos climáticos espaciais ainda têm o potencial de afetar o nosso planeta. Estes fenómenos perturbam não só a nossa vida quotidiana, mas também os sistemas tecnológicos críticos dos quais dependemos fortemente, tanto no terreno como no espaço.

O vento solar, um fenômeno no qual o Sol libera fluxos constantes de partículas carregadas e energizadas em alta velocidade chamadas plasma, tem o potencial de afetar a Terra.

As tempestades geomagnéticas podem ser causadas por flutuações no vento solar, como nos casos em que ele acelera a velocidades excepcionais. Essas flutuações têm a capacidade de induzir alterações temporárias tanto na magnetosfera quanto na ionosfera, que abrange a região da nossa atmosfera que começa aproximadamente 80 quilômetros acima do nível do mar.

As tempestades mais formidáveis, que muitas vezes são o resultado de ejeções de massa coronal (CME), envolvem a expulsão de bilhões de toneladas de plasma e matéria solar acompanhada por radiação eletromagnética da camada mais externa da atmosfera solar, conhecida como coroa.

A maioria das tempestades geomagnéticas são geralmente de natureza moderada e têm efeitos mínimos em nosso planeta. No entanto, de vez em quando surge uma tempestade mais poderosa, causando perturbações significativas na nossa infra-estrutura tecnológica.

Características das tempestades geomagnéticas

quente do sol

As tempestades geomagnéticas, que podem durar de algumas horas a vários dias, têm a capacidade de aquecer e distorcer a ionosfera do nosso planeta, causando interrupções nas comunicações de rádio. Além disso, estas tempestades também têm impacto nos sistemas de posicionamento global (GPS), o que pode causar imprecisões na navegação.

No caso de uma tempestade geomagnética, existe a possibilidade de a rede elétrica ficar sobrecarregada, resultando em apagões generalizados. Isto foi demonstrado durante um incidente particularmente intenso em 1989. Reconhecendo os riscos associados a estes eventos, Os fornecedores de eletricidade implementaram medidas para minimizar o impacto e prevenir danos.

É importante reconhecer que nem tudo associado às tempestades geomagnéticas é negativo. Estes eventos poderosos também produzem fenómenos naturais cativantes chamados auroras polares, que se manifestam como aurora boreal no hemisfério norte e aurora austral no hemisfério sul.

O termo “apagão de rádio” refere-se a um fenômeno específico que ocorre na comunicação. De vez em quando, uma área específica do Sol sofre uma enorme explosão magnética, resultando no aparecimento de uma explosão solar. Esses fenômenos, que geralmente são observados perto do As manchas solares emitem uma gama de radiação eletromagnética que abrange raios X, luz visível e luz ultravioleta.

Clima espacial

clima espacial

A capacidade da ionosfera de refletir ondas de rádio de longo alcance pode ser afetada por certas formas de radiação, causando fenômenos conhecidos como “apagões de rádio” na Terra.

Estes desenvolvimentos afectam todos os sectores, com especial atenção para os sectores marítimo e da aviação, que dependem fortemente de comunicações de rádio de alta frequência.

Entre os vários fenômenos climáticos espaciais que impactam a Terra, os apagões de rádio são frequentemente observados. Estes eventos específicos têm o efeito mais rápido no nosso planeta, pois os raios X, que viajam a velocidades comparáveis ​​à da luz, Eles chegam à Terra apenas oito minutos após a ocorrência de uma explosão solar.

Os apagões de rádio normalmente duram apenas um curto período de tempo, embora possam ocasionalmente durar um longo período de horas. Durante as explosões solares, são liberadas grandes quantidades de partículas de alta energia que têm a capacidade de desencadear tempestades e gerar radiação solar. A duração destes fenômenos pode variar de algumas horas a vários dias.

Embora o campo magnético da Terra sirva como escudo contra a radiação, não é completamente impermeável, permitindo que certas partículas rompam a sua barreira protetora.

As partículas solares seguem as linhas do campo magnético da Terra, viajando em direção aos pólos e finalmente se infiltrando em nossa atmosfera.

Os circuitos eletrônicos de uma espaçonave são suscetíveis a danos causados ​​por essas partículas. Além disso, o DNA dos astronautas e de outros organismos no espaço também está sujeito a danos.

Os passageiros e a tripulação de aeronaves que voam a grandes altitudes, especialmente em latitudes elevadas, podem encontrar níveis significativos de radiação devido a tempestades de radiação solar particularmente intensas. Por outro lado, estas tempestades também causam perturbações significativas nas comunicações de rádio de alta frequência originadas nas regiões polares.

O clima social pode ser previsto?

De acordo com o Dr. Piyush Mehta, professor assistente de engenharia mecânica e aeroespacial na West Virginia University, precauções foram implementadas para proteger contra o impacto do clima espacial nas pessoas, a tecnologia e a infraestrutura do nosso planeta.

No entanto, alerta que a nossa capacidade de antecipar eventos potencialmente graves permanece significativamente restrita.

Mehta reconheceu que certas companhias aéreas comerciais expressaram preocupações sobre a possível exposição à radiação durante o voo. Para resolver estas preocupações, uma abordagem envolveria identificar e evitar áreas de alta radiação durante viagens de aeronaves. Porém, Esta estratégia depende da nossa capacidade de melhorar as nossas capacidades preditivas, que é uma área onde ainda são necessárias mais melhorias.

Para rastrear o clima espacial, os cientistas usam uma frota de naves espaciais que circulam o nosso planeta e as áreas circundantes, juntamente com observatórios terrestres.

Embora extensas pesquisas tenham levado a avanços notáveis ​​na nossa compreensão do clima espacial, ainda há um longo caminho a percorrer para alcançar um nível de modelagem e previsão que rivalize com a sofisticação do clima da Terra. De acordo com Mehta, há uma ligação imediata que as pessoas fazem entre o clima espacial e os nossos esforços de previsão do tempo aqui na Terra.

O nosso progresso na modelação do clima da Terra tem sido significativo, mas a nossa compreensão do clima espacial ainda está numa fase inicial. Isto é evidente nas nossas limitações na previsão de vários processos, particularmente durante períodos de aumento de atividade.

Espero que com essas informações você possa aprender mais sobre o clima espacial e suas características.


Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

*

  1. Responsável pelos dados: Miguel Ángel Gatón
  2. Finalidade dos dados: Controle de SPAM, gerenciamento de comentários.
  3. Legitimação: Seu consentimento
  4. Comunicação de dados: Os dados não serão comunicados a terceiros, exceto por obrigação legal.
  5. Armazenamento de dados: banco de dados hospedado pela Occentus Networks (UE)
  6. Direitos: A qualquer momento você pode limitar, recuperar e excluir suas informações.