A Lua é um planeta?

importância da lua

A Terra é orbitada por um único satélite natural conhecido como Lua. Um corpo celeste que gira em torno de um planeta é chamado de satélite natural. Enquanto alguns planetas, como Júpiter e Saturno, têm mais de setenta satélites naturais, outros, como Vênus e Mercúrio, não têm nenhum. Entre os satélites naturais do Sistema Solar, a Lua ocupa o quinto lugar em tamanho. Muitas pessoas se perguntam por que a Lua não é considerada um planeta.

Neste artigo, vamos dizer a você por que a Lua não é considerada um planeta e suas características.

Importância do conhecimento da Lua

a lua é um planeta

A Era Espacial começou na década de 1950, marcando o início da busca da humanidade para explorar corpos celestes além da Terra. A Lua, por ser a mais próxima do nosso planeta, passou a ser o objetivo principal. Desde então foram realizados mais de cem expedições robóticas e mais de dez missões tripuladas com o objetivo de alcançar e estudar a Lua.

O evento histórico de pousar com sucesso um foguete na Lua e retornar com segurança à Terra ocorreu em 1969 com a missão Apollo 11. Esta conquista monumental foi liderada por Neil Armstrong, que se tornou o primeiro astronauta a pisar na superfície lunar. Geralmente, leva cerca de três dias para um foguete viajar da Terra à Lua.

Características do nosso satélite

satélite natural

A Lua possui características distintas que a distinguem de outros corpos celestes do nosso sistema solar. Várias características notáveis ​​distinguem a Lua, incluindo as seguintes:

  • É o único satélite natural da Terra e está localizado a cerca de 385.000 mil quilômetros do nosso planeta.
  • Entre a vasta gama de mais de cento e noventa luas que rodeiam vários planetas do nosso Sistema Solar, esta lua em particular ocupa a estimada posição de ser a quinta maior.
  • Comparado com o tamanho da Terra, tem apenas um quarto da sua magnitude.
  • A densidade deste objeto é 40% menor em comparação com a da Terra.
  • A superfície da Lua é acidentada e marcada por numerosas crateras causadas pelas colisões de grandes objetos que penetraram com sucesso na sua delicada atmosfera. Além do mais, A lua desempenha um papel crucial na manutenção da estabilidade e do clima da Terra.
  • A atividade sísmica nesta região específica é mínima e há uma falta significativa de calor que emana do seu núcleo. Ao contrário da Terra, não possui campo magnético; No entanto, certas rochas na sua superfície exibem uma qualidade magnética permanente.
  • Porque sua densidade é aproximadamente 60% do peso da Terra, os objetos na Lua pesam menos em comparação com o seu peso no nosso planeta.

A estrutura e composição da Lua

tamanho da lua

A Lua é composta por várias camadas, incluindo:

  • A crosta pode ser comparada à paisagem lunar, cheio de numerosas crateras.
  • O manto, que é a camada que segue a crosta, é a camada dominante. É uma concha firme que transita para um estado parcialmente sólido à medida que se aproxima do núcleo da lua. Dentro do manto estão minerais como magnésio, silício, ferro e cálcio, além de oxigênio e rochas basálticas.
  • O núcleo lunar é composto por um centro de ferro sólido rodeado por uma camada de ferro líquido, tornando-o a seção mais interna do corpo celeste.

Várias teorias foram propostas para explicar a origem da Lua. A formação da Lua ocorreu há mais de quatro milhões de anos, o que gerou inúmeras teorias sobre sua origem e o mecanismo por trás de sua criação. A hipótese predominante sugere que ocorreu uma colisão entre a Terra e um planeta nascente, fazendo com que os detritos do impacto permanecessem na órbita da Terra. Com o tempo, esses detritos acumularam-se e fundiram-se para formar a Lua tal como existe hoje.

O caminho da Lua ao redor da Terra, conhecido como órbita lunar, segue um caminho no sentido anti-horário na forma de uma elipse.

Movimentos

Os movimentos da Lua podem ser descritos da seguinte forma:

  • A Lua realiza um movimento rotativo enquanto gira em seu próprio eixo.
  • O movimento conhecido como translação envolve a Lua orbitando a Terra.

A Lua leva aproximadamente 28 dias para completar uma revolução completa, que abrange tanto sua rotação em seu eixo quanto sua órbita ao redor da Terra. A velocidade do movimento rotacional da Lua coincide com a do movimento translacional da Terra.

As forças gravitacionais dos corpos celestes interagem de tal forma que ocorre um movimento sincronizado. Como resultado desta sincronicidade, a Terra vê sempre o mesmo lado da Lua, enquanto o lado oposto, que permanece invisível, é conhecido como “o outro lado da Lua”.

Importância para o planeta Terra

A Lua é importante devido à sua capacidade de impactar uma infinidade de fenômenos na Terra, incluindo:

  • A vazante e o fluxo das marés oceânicas são influenciados pelo caminho que a Lua segue ao orbitar a Terra. Esse caminho segue um formato elíptico, fazendo com que a Lua se aproxime do nosso planeta em determinados momentos. Como ditam os princípios da física, objetos que estão muito próximos exercem uma atração gravitacional mais forte uns sobre os outros. Consequentemente, à medida que a Lua se aproxima da Terra, a força gravitacional que ela exerce provoca um aumento no nível da maré, à medida que a água é atraída para a presença da Lua.
  • O clima da Terra é influenciado pela força gravitacional entre a Terra e a Lua, o que faz com que as marés mudem e, em última análise, provoca mudanças nos padrões climáticos. Este fenômeno natural desempenha um papel crucial na manutenção do equilíbrio geral do planeta.

A Lua é um planeta?

Para atender aos critérios estabelecidos pela União Astronômica Internacional (IAU) para classificação planetária, um corpo celeste deve orbitar diretamente o Sol. O tamanho da Lua impede que ela atinja uma forma esférica devido à sua própria força gravitacional., ao contrário dos planetas, que são corpos celestes de tamanho suficiente para conseguir isso.

A falta de uma órbita definida é outro aspecto significativo da Lua. De acordo com a definição fornecida pela União Astronómica Internacional (IAU), os planetas devem ter eliminado a sua órbita de entidades mais pequenas. No entanto, a Lua não cumpre este critério uma vez que coexiste com vários asteróides e corpos celestes dentro da sua órbita.

Espero que com essas informações você possa conhecer um pouco mais sobre o nosso satélite e saber porque a Lua não é um planeta.


Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

*

  1. Responsável pelos dados: Miguel Ángel Gatón
  2. Finalidade dos dados: Controle de SPAM, gerenciamento de comentários.
  3. Legitimação: Seu consentimento
  4. Comunicação de dados: Os dados não serão comunicados a terceiros, exceto por obrigação legal.
  5. Armazenamento de dados: banco de dados hospedado pela Occentus Networks (UE)
  6. Direitos: A qualquer momento você pode limitar, recuperar e excluir suas informações.